Pacientes que tiveram COVID-19 podem desenvolver trombose, durante ou após cura da doença

Uma pessoa que teve COVID-19 pode desenvolver algumas doenças associadas. A trombose é uma delas. “O vírus causador da doença desencadeia uma alteração no processo natural de coagulação, o que favorece a formação de coágulos nas veias e, assim, aumenta a incidência de quadros de trombose”, explica a cirurgiã vascular da Clínica Mais Baleia, do Hospital da Baleia, Dra. Luísa Assis.

Segundo ela, é importante que, mesmo após a cura da COVID-19, os pacientes continuem se cuidando. “Na Clínica Mais Baleia tem sido comum o atendimento a pacientes que se contaminaram com COVID e, posteriormente, desenvolveram a trombose. Um número muito expressivo que tem chamado a nossa atenção.”

Para o diagnóstico, o exame mais indicado pelos especialistas é o duplex-scan. O equipamento permite a identificação da veia acometida através da avaliação da anatomia vascular e do fluxo sanguíneo. “Por meio da emissão de ondas mecânicas de ultrassom, são geradas as imagens que permitem a análise das veias e artérias. O procedimento é realizado de modo semelhante ao ultrassom convencional”, explica a médica.

Com alto grau de confiabilidade, o exame consegue investigar casos de inchaços e dores nas pernas, avaliar os vasos e a má circulação do sangue, mapear varizes em processos pré operatórios, verificar o funcionamento de um enxerto vascular, dentre outros. “Ao identificar imagem, cor e fluxo sanguíneo, a técnica se mostra bastante sensível e possibilita um resultado preciso”, finaliza Luísa.

Compartilhe:

Share on whatsapp
Compartilhar no Whatsapp
Share on facebook
Compartilhar no Facebook
Share on twitter
Compartilhar no Twitter
Share on linkedin
Compartilhar no Linkedin